Receio de criar um negócio FinTech? Calma.

FinTech = Finanças + Tecnologia.

No final de 2015 eu trabalhei com uma startup poderosa, que nasceu de uma joint venture entre duas gigantes, uma da área de Telecomunicações e outra de Serviços Financeiros.

Esta semana ajudei um empresário da área de Business Inteligence e Big Data a formatar a startup dele e validar algumas ideias sob a ótica de Experiência do Consumidor e Economia Comportamental. O cara estava super afiado em FinTech e em dois dias de trabalho já tínhamos gerado dois planos de negócio excelentes (um B2B e um B2C), ambos baseados no conceito de Capitalismo Sustentável. O mundo agradece!

Trabalhando com pequenas e grandes startups focadas no setor de serviços financeiros, percebi que eles passam por dificuldades muito parecidas. Os problemas importantes acabam não se resolvendo com poder e dinheiro, mas com inteligência e criatividade. Ou seja, como em qualquer outro segmento, tanto faz o seu porte desde que você seja bom.

Fuja do mito que FinTech é só para grandes players.

Entendido isso, talvez a próxima questão refira-se a seu nível de conhecimento sobre regulamentações e burocracias em geral, então seguem duas sugestões, mas não limite-se a elas:

  1. Lembre dos pequenos bancos, financeiras e todo peixe pequeno experiente em brigar com peixe grande. Eles podem estar abertos a conversar e talvez já tenham validado algumas de suas ideias há anos;
  2. Há muito (muito mesmo) ex-funcionário de banco que se demitiu com o argumento de “fazer algo mais nobre pelo planeta”, “dar mais significado à sua vida”, etc. Esses revoltados não são de difícil acesso e estão loucos pra trocar informações e fazer negócio com você.

Vai fundo!

Anúncios